Escócia pede que Reino Unido 'proteja' uísque após Brexit


Temor de escoceses é que produtos inferiores invadam mercado

Da Ansa
- Agência Italiana de Notícias

O secretário de Economia da Escócia, Keith Brown, pediu formalmente ao Reino Unido que crie uma legislação para proteger e defender um dos produtos mais típicos do país, o uísque, após o processo de saída do país da União Europeia, o chamado "Brexit".

No documento, Brown lembra que "além de ser uma parte da cultura e da identidade dos escoceses", a indústria da bebida no país mantém "cerca de 20 mil empregos" e movimenta "aproximadamente quatro bilhões de libras esterlinas" em exportações.

Atualmente, a União Europeia protege o uísque em relação à venda de produtos similares, mas de qualidade inferior ou com outro processo de produção. No entanto, a lei cairá assim que o processo do "Brexit" for finalizado, em março de 2019.

A manifestação de Brown ocorre pouco tempo depois da visita aos Estados Unidos do secretário de Comércio Internacional britânico, Liam Fox. Segundo fontes daquele encontro, os norte-americanos pediram uma ampliação na definição da qualidade da bebida para abrir o mercado do Reino Unido para outros produtos.

"Nós precisamos ter a certeza que em qualquer acordo futuro funcione para a Escócia e que não seja uma ameaça para a vida de nossos produtores", destaca ainda o comunicado.

Cerca de 60% dos escoceses votaram contra a saída do Reino Unido do bloco europeu e o governo local chegou a ameaçar com a convocação de um novo plebiscito para declarar sua independência da Inglaterra.

No entanto, no último pleito, realizado em junho, a premier Nicola Sturgeon deu um passo atrás e informou que não apresentaria "imediatamente" o projeto de plebiscito.