Roma organiza congresso contra pedofilia na Internet


Ft.: RFI
Ft.: RFI
A exposição das crianças à pornografia na Internet e a pedofilia serão o cerne de um congresso internacional realizado em Roma

Da RFI
- Rádio França Internacional

A exposição das crianças à pornografia na Internet e a pedofilia serão o cerne de um congresso internacional realizado esta semana em Roma por uma universidade católica, com o apoio do Papa Francisco, segundo afirmaram os organizadores nessa segunda-feira (2).

O padre alemão Hans Zollner convidou a Universidade Gregoriana de Roma a participar, a partir desta terça-feira (3), de um "think tank" internacional interdisciplinar, misturando cientistas, acadêmicos, policiais, ministros ou representantes de ONGs para discutir a exposição de crianças à pornografia na Internet e a pedofilia.

Mesmo se a maior parte dos especialistas não são ligados à Igreja, uma declaração final será apresentada ao Papa Francisco na sexta-feira (6) durante uma audiência com 150 participantes. "Não há tempo a perder", afirmou o padre Zollner, acadêmico jesuíta e psicoterapeuta que viajou o mundo no combate a crimes de pedofilia e criou um programa de estudo sobre o assunto para formar eclesiásticos.

"Toda criança tem o direito à proteção de sua integridade física e moral. Estamos trabalhando arduamente para que isso aconteça no mundo real e temos que fazer o mesmo no mundo virtual", acrescentou ele, que se irrita com aqueles que associam abuso sexual apenas ao mundo religioso.

Ele cita o caso da Índia, onde 500 mil pessoas vão descobrir a Internet nos próximos dois anos: "A metade será composta por menores de idade cujos pais não têm ideia do que pode ser encontrado na tela”.

Em muitos países, especialmente na Ásia, o abuso sexual de crianças ainda é um assunto tabu, cheio de "vergonha", disse o padre Zollner. "Uma campanha da União Europeia diz que um em cada cinco filhos é abusado sexualmente, mas quem se importa?", completou.

Traficantes de crianças

O congresso internacional, que está em preparação há dois anos e que deve levar a um plano de ação, é "histórico" por sua natureza multidisciplinar, disse Ernie Allen, um especialista americano em exploração infantil.

"O governo dos Estados Unidos criou uma ferramenta que permite que os dissidentes políticos usem a Internet anonimamente, protegendo-os de sistemas políticos repressivos", disse ele. "Mas uma rede obscura surgiu utilizando esta ferramenta, anônima e secreta, usada por narcotraficantes, traficantes de armas, grupos extremistas e traficantes de crianças", explicou Allen.

Para Johanna Shields, assessora da premiê britânica, Theresa May, para segurança na Internet, "a tecnologia está transformando profundamente a infância", com "comunicações criptografadas que permitem que as pessoas se expressem livremente".

Mais de 800 milhões de jovens de todo o mundo nasceram na era da Internet.