Vinícolas brasileiras fecham bons negócios na ProWein


Ft.: André Bezerra/Ibravin
Ft.: André Bezerra/Ibravin
As 11 vinícolas brasileiras brindaram os resultados na 14ª participação do projeto na feira

Os mais de 500 atendimentos realizados apenas no Sparkling Brasil Lounge nos três dias de realização da ProWein, maior feira mundial em vinhos, encerrada ontem, dia 20, em Düsseldorf, na Alemanha, e a sala cheia durante a palestra realizada no fórum do evento demonstram que a estratégia de focar no espumante como carro-chefe do setor vitivinícola nacional foi acertada.

As 11 vinícolas brasileiras brindaram os resultados na 14ª participação do projeto na feira. Contabilizaram um aumento de, aproximadamente, 30% nos atendimentos comerciais, com visitantes de 17 países e uma projeção de negócios para os próximos 12 meses 60% maior em relação à edição do ano passado, podendo chegar a US$ 1,6 milhão. A participação das empresas foi viabilizada pelo projeto setorial Wines of Brasil, desenvolvido pelo Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) – por meio do Fundo de Desenvolvimento da Vitivinicultura do Rio Grande do Sul (Fundovitis) –, em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). O estande também foi apoiado pela Secretaria do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (SDECT/RS).

“O mercado tem demonstrado um reconhecimento cada vez maior do Brasil como referência na elaboração de espumantes dentre os países do hemisfério sul”, explica o gerente de Promoção do Ibravin, Diego Bertolini. “A feira foi um sucesso. Além das empresas terem acertado parcerias com novos importadores, fecharam boas vendas durante o próprio evento”, comemora.

Além de compradores dos países-alvo do projeto – Estados Unidos, Reino Unido e China – o estande recebeu visitantes da Irlanda, Suíça, Holanda, Suécia, Portugal, Bélgica, Emirados Árabes, Israel e França. Sobre esse último território, Bertolini informa que algumas vinícolas brasileiras fecharam com importadores para esse concorrido mercado. “O interesse no espumante brasileiro tem sido cada vez maior e acaba surpreendendo positivamente os compradores e também os consumidores”, analisa o gerente. No ano passado, apenas uma das empresas expositoras exportou 12 mil garrafas para a França.

O dirigente também cita o destaque do trade e da imprensa internacional para o espumante brasileiro, afirmando que ‘the next great bubbles comes from Brazil’ (em tradução livre, as próximas grandes borbulhas vêm do Brasil).